4

Com a pandemia de Covid-19, viagens e visitas a restaurantes tiveram de ser temporariamente suspensas ou adaptadas às rígidas normas para evitar a propagação do vírus. A partir disso, páginas que falam sobre o mundo da gastronomia e da viagem – além de terem de se reinventar – proporcionaram à audiência uma nova forma de interagir com este novo mundo que se molda..

Gastronomia

Liliana Ramos – @cozinhadaliliana

Minha atividade principal de trabalho hoje é a produção de conteúdo no Instagram e aulas de curso de culinária na modalidade low carb.

Meu perfil e minha atividade acabaram nascendo juntas: quando eu comecei a ir para a área de low carb, o meu perfil foi tomando esse corpo, e hoje eu uso meu Instagram como plataforma de divulgação para os cursos que eu dou, postando receitas low carb e de família diariamente.

Hoje, os ganhos financeiros que eu tenho vêm da divulgação dos meus cursos e das comidas que eu vendo e também pelo engajamento do público, por meio de várias empresas que me contrataram, como supermercados, empórios de carnes etc. para produzir receitas para elas também.

E, em geral, as empresas que me procuram chegam até mim porque eu usei algum produto deles sem cobrar nada pela divulgação, e os meus seguidores vão atrás – daí fica nítida a questão da influência, o que faz com que eles queiram me contratar para começar esse trabalho de divulgação.

Para mim, o principal desafio de falar sobre gastronomia nas redes sociais é a expectativa das pessoas, que acham que você tem todas as respostas sobre o assunto, o que não é verdade. Isso faz com que a gente tenha que buscar conhecimento a todo momento. A partir do momento em que você se coloca no papel de ensinar, você se obriga a buscar conhecimento.

Como eu lido com culinária low carb e dieta cetogênica, a transformação das pessoas está na base do que eu faço. São tipos de dieta direcionados não só a quem está em busca de fazer dieta, mas de pessoas que têm problemas de saúde e precisam se utilizar delas. Eu recebo relatos diários de pessoas que se beneficiam disso, que conseguem se alimentar em cima das receitas que eu ofereço, e também como eu falo muito sobre mulheres empreendedoras – tenho duas filhas, trabalho dentro de casa, sou formada em direito e mesmo assim fiz do empreendedorismo uma forma de ganhar dinheiro – já motivei muita gente assim. É muito legal ver essa transformação, até mesmo em quem, muitas vezes, não gostava de cozinhar e passou a fazer isso por causa do perfil.

Alline de Castro – @meusaudavelequilibrio

Sou empreendedora na área de Gastronomia, vendo comidas congeladas saudáveis! Não sou formada na área, mas sempre gostei de aprender e me arriscar na cozinha.

Comecei meu negócio (@saudavelequilibriogourmet) depois que criei o Instagram @meusaudavelequilibrio onde já postava receitas. Sempre gostei de cozinhar e vi uma oportunidade por conta da interação dos meus seguidores.

Comecei o Instagram postando minha rotina de treinos e alimentação, com o intuito de me ajudar a emagrecer! Fui criando receitas fáceis e mais saudáveis para deixar a dieta mais leve e não enjoar. Com o tempo foi crescendo por conta das receitas principalmente.

“ Eu não gosto muito de números. Eu gosto mais desse vínculo, quando mais pessoas vierem falar, principalmente por direct e mandar aquela mensagem….Conseguir conectar às pessoas é a minha meta.” Alline de Castro

Sempre tento responder e interagir com meus seguidores, de forma mais pessoal possível! Faço questão de responder cada um, tirar suas dúvidas e ajudar. Principalmente por direct.

Estou começando a estudar para conseguir monetizar meu conteúdo. Minha renda vem do meu negócio de congelados saudáveis.

Acho que a parte mais complicada é descrever bem a receita, o passo a passo de forma clara e as substituições de ingredientes. Tenho que ficar atenta, pois alguns não têm familiaridade com cozinha ou não gostam muito.

É muito gratificante ver as pessoas fazendo e elogiando as receitas! Recebo feedbacks diários sobre como minhas receitas e dicas têm ajudado meus seguidores no processo de emagrecimento!

Tenho seguidoras que não gostavam de cozinhar e começaram por conta das minhas receitas. É isso que me motiva.

Renata Nicoli – @curitibagastronomica

Sou jornalista e atuei anos em redação, televisão e assessoria de imprensa. Hoje eu estou mais voltada para consultorias em marketing de influência para influenciadores e pessoas, além de estar a frente do marketing de algumas marcas.

Além disso, tenho uma empresa de cestas criativas e outra ligada a tecnologia com uma pitada gastronômica saindo do forno.

Sou extremamente multitarefas. O jornalismo me deu uma guinada diferenciada com o Curitiba Gastronômica no quesito produção de conteúdo de qualidade. Uso tudo que aprendi no jornalismo e nos meus cursos de marketing para voar mais alto com o CG.

Eu estava em um evento de inauguração de um bar representando uma revista que trabalhava no início de 2017. Em meio a jornalistas havia também alguns influenciadores, e esse foi meu primeiro contato com essa nova tendência.

“Eu nunca esperava a proporção que se tornou (@curitibagastronomica). Eu criei ele logo após sair de um evento de gastronomia, uma inauguração de um bar aqui em Curitiba. As pessoas foram seguindo e fui vendo um retorno que eu não esperava. Criei despretensiosamente.” Renata Nicoli

Sempre fui muito a fundo em conteúdo, e quando voltei pra casa dei uma olhada em alguns perfis de influenciadores do Brasil e acabei percebendo uma lacuna no que dizia respeito a um conteúdo mais profundo, autoral e informativo.

Depois de uns bons drinks a gente perde o medo de criar algo novo, né? E foi nesse misto de conhecimento e impulso que criei o Curitiba Gastronômica no Instagram no meio da madrugada.

Na ocasião fiquei semanas sem postar nada. Não tinha nem um logo. Na terceira semana notei que havia pessoas seguindo de forma espontânea, mesmo sem a página ter movimentação, e resolvi usar o networking que já tinha para apresentar o novo projeto.

Nos primeiros meses, amigos me ajudaram na produção de conteúdos com dicas de lugares que eu ainda não tinha ido, e contei com colaborações nos primeiros oito meses, mais ou menos.

Depois desses meses resolvi investir profundamente e transformar isso num negócio no que diz respeito a base: registrei a marca e acrescentei o ramo de atividade no CNPJ que já tinha, comecei a aparecer mais e personificar mais a marca com o que eu acredito, gosto e não gosto também.

Minha conversa com a audiência é sem muitas papas na língua. O CG é conhecido por ser aquele insta super sincerão e mais exigente nas resenhas. O público está super adaptado a esse formato, assim como aceita super bem as resenhas mais longas e informativas. Tento ser exatamente o que sou na vida real. É sempre muito leve, completo e baseado nos pilares da credibilidade.

Ter ganhos financeiros com meu perfil foi um processo que demorou pra mim, quando comparado a outros perfis. Principalmente porque sempre fui muito exigente com a questão de transparência, credulidade, sinceridade e os ganhos vieram como consequência.

As marcas sempre procuraram muito o CG para parcerias, mas de uns tempos pra cá houve um crescimento considerável de empresas que realmente sabem o poder do marketing de influência e as “simples parcerias” tem se tornado cada vez mais rentáveis e melhor elaboradas.

Pra mim, qualquer cliente que anuncie mais de uma vez porque realmente confia no nosso trabalho é uma campanha bem sucedida!

Acredito que o maior desafio é se manter atualizada na medida que novos estabelecimentos vão surgindo, além de manter um conteúdo com a mesma qualidade todos os dias. Além disso também existe a questão de saber dosar as críticas sem ofender o empreendedor ou estabelecimento sem prejudicar o negócio daquele indivíduo.

A melhor recompensa na vida profissional de um influenciador é mudar a vida das pessoas de uma forma positiva através do que fala, mostra e se propõe. Acredito muito na força da influência mesclada a sinceridade, storytelling e propósitos. A comunicação e a informação em qualquer área muda a vida das pessoas…. e isso é realmente transformador!

A maior mudança positiva que acontece diariamente na vida das pessoas é o grupo do Whatsapp do CG. Lá muitas pessoas encontraram refúgio em um período difícil de isolamento social. As pessoas fizeram novos amigos, participaram de bate-papos enriquecedores, aprenderam, encontraram o que precisavam e muitos, consequentemente, fizeram novos clientes em seus respectivos negócios. Foi um vínculo que saiu da rede social pra vida real. As pessoas conversam ali 24h por dia, sobre tudo, inclusive problemas pessoais que as ajudam de uma maneira profunda e ressignificando a própria vida.

Viagem

Fabio Monteiro – @fabjomontejro

Eu sou jornalista por opção, paixão e formação. Já trabalhei em grandes veículos de comunicação, mas atualmente estou buscando minha independência como criador dos meus próprios conteúdos. Continuo fazendo colaborações e freelas, mas sempre focando no jornalismo especializado em Viagem & Turismo.

Como o jornalismo está naturalmente conectado com a produção de informação, a curiosidade, e a exploração do mundo, há uma conexão orgânica e sem esforço entre minha atividade e meu perfil.

Comecei a viajar – de verdade – em 2013. Foi um período em que eu estava meio de saco cheio do meu trabalho, me sentindo preso. Queria viver experiências novas, mais autênticas e gratificantes. Então, larguei tudo e fiquei 6 meses de mochilão por EUA, México e Cuba. Comecei reportando essa aventura no YouTube e num Blog. Daí, não parei mais.

Tento estabelecer um contato o mais natural possível, totalmente informal, pautado principalmente pela franqueza. Acho que isso é o que realmente atrai as pessoas nas redes sociais, então, uso pouca “pirotecnia” ou “grandes produções”. O público se sente próximo, e você acaba se tornando um amigo que, no meu caso, pode dar algum conselho sobre viagens.

“Temos muitos produtores de conteúdo nesse seguimento de viagem que continuaram viajando e alguns com atitudes displicentes com a pandemia. Eu particularmente decidi fazer esse conteúdo de uma forma mais consciente, não incentivando as pessoas a viajar, mas pedindo para que as pessoas ficassem em casa.” Fabio Monteiro

Hoje, consigo ter alguns ganhos financeiros com o perfil, mas ainda falta muito (muito mesmo!) para que esses ganhos sejam satisfatórios.

As marcas me procuram, mas ainda não é sustentável. Um projeto legal, que fizemos há 1 ano, foi uma série de vídeos patrocinados por um grande resort do Ceará. O conteúdo tinha como objetivo divulgar o hotel, as belezas e a cultura da região, além das experiências incríveis que podem ser vivenciadas neste destino. Ainda conseguimos sortear uma viagem com todas as despesas pagas entre os seguidores! Foi uma das melhores ações promocionais que fizemos até o momento.

Considero que, sem dúvida, o maior desafio é ter orçamento para bancar as viagens. É um tipo de conteúdo que tem um custo elevado para ser produzido e, por isso, pode ser complicado manter uma boa frequência de publicações. Mas, atualmente, a questão da pandemia, que praticamente paralisou o turismo, também se tornou uma barreira importante.

Mudança de “vida” – talvez – seja um pouco demais pro segmento de viagens… Mas fico satisfeito quando recebo mensagens de seguidores que conseguiram realizar o sonho de viajar para um determinado lugar graças aos vídeos que publiquei. Ou que conseguiram vencer o medo de viajar sozinhos, ou que estão se sentido livres e felizes porque viveram uma aventura que eu recomendei… Sem dúvida, é um feedback muito gratificante!

Josenice de Araújo Andrade

Sou agente de Viagem. Ainda não sei bem como converter os meus seguidores em clientes, mas de todo modo procuro sempre agregar o valor do meu conhecimento como profissional do turismo às informações que passo para os meus seguidores.

“O turismo foi um dos primeiros nichos que sofreu com a pandemia e vai ser um dos últimos que voltará ao normal.” Josenice de Araújo Andrade

Desde 2010 eu viajo e, naturalmente, postava com bastante frequência no Facebook viagens e curiosidades sobre lugares por onde passava. Gostava de interagir e manter as pessoas informadas. Quando surgiu o Instagram migrei pra lá.

Consigo ter ganhos financeiros com o perfil quando converto um seguidor a cliente da minha agência, Viaja Bahia. Não dou vazão para trabalhos com marcas. Gosto mesmo de prestar um bom serviço pela agência ou influenciar pessoas fazendo-as entender o quanto elas podem viajar se souberem se programar. No máximo aproveito convites para estadias em hotéis e/ou passeios

Adoro lidar com as pessoas, principalmente porque sei que influencio para algo bom, leve e que traz para as pessoas um retorno que só as experiências vividas em viagens pode proporcionar.
Momentos inesquecíveis. Pessoas depressivas que se redescobriram viajando e passaram a ver a vida de outra forma. Clientes que viajaram a primeira vez através da minha dedicação e empenho e retornaram com ampla visão do negócio que já tinham, remodelaram e hoje são sucesso!
Mulheres que viviam em um relacionamento abusivo e encontrou nas viagens incentivadas por mim força para viver uma vida com foco em outros prazeres. Sem contar nas inúmeras pessoas que incentivei a mudar de país, estudar fora e à enviar seus filhos para fazerem intercâmbio.

Saiba mais
Para assistir a live completa do Fórum, clique aqui.

banner-ofereciemento-micro