influencia-e-consequencia
Simone Aline (@simone_aline), Larissa Lago, Planin e Felipe Vinha (@felipevinha)

 

O universo digital nunca esteve em ascensão como hoje. O aumento a acessibilidade a internet mais rápida e o crescimento do uso de smartphones fez com que aumentasse o número de usuários de redes sociais e com isso a responsabilidade dos influenciadores que produzem conteúdo. Esses foram um dos temas abordados pelo 8º Fórum sobre Marketing de Influência, em seus painéis: “Influência é consequência” e “ A imunização contra a desinfluência”.

Antigamente, os maiores formadores de opinião eram jornalistas ou pessoas a nossa volta, com a internet esse padrão foi modificado, as vozes se tornaram mais potentes e com maior alcance. “A responsabilidade que as redes sociais tiveram no final do governo Trump, a invasão de Capitólio.. É um momento muito importante para a gente de refletir o mercado sobre o poder dos influenciadores como grandes formadores de opinião e alguns grupos tão fortes quanto um veículo de mídia com um poder de fogo tão grande. Um momento que os influenciadores vão precisar assumir uma posição dos seus valores” reforça Karina Barcellos, CEO da SmartPR.

Para Polly Oliveira, criadora de conteúdo, acrescenta que as pessoas precisam de conhecimento no seu dia a dia. “As redes sociais como todo é uma arma perigosa e poderosa que temos na atualidade. Com a pandemia, com tudo isso que aconteceu, essa arma ganhou mais poder. As pessoas estão mais conectadas umas às outras, por isso é muito importante valorizar criadores de conteúdo que levem informação de qualidade.”

Algoritmo nas redes

A influenciadora Polly Oliveira, após ser banida do Instagram, por falar sobre corpo, autoestima, relacionamento, criou o #OExperimento e começou a entender a lógica dos algoritmos na sua rede e de suas seguidoras. “Toda vez que eu falava sobre chá emagrecedor, as propagandas eram depois de emagrecimento. Os patrocinados que pareciam na minha linha no feed das pessoas ou logo após meus stories acabar tinha tudo a ver com que eu tinha falando”. As pessoas mandavam as propagandas que vinham seguinte, falei sobre muitos assuntos e todas as propagandas eram voltadas para o assunto.

Os grandes influenciadores podem ajudar a remodelar a lógica da informação mais qualificada e de relevância, pelo seus números de seguidores e alcance.“A gente treina o algoritmo, o algoritmo não toma decisões sozinhas ele toma decisões em cima do comportamento humano, se o comportamento humano é errado, ele vai ser errado também.” acrescenta André Barros, do canal Fora de Série.

Criação de conteúdo relevante

Criar conteúdos de responsabilidade foi muito discutido durante o evento. Felipe Vinha, que participou do painel “Influência é consequência” do Fórum sobre Marketing de Influência “Na internet você tem a questão da responsabilidade, uma conduta que toda pessoa da internet deve seguir. Desde do momento quando vai publicar, postar ou gravar. independente da carga de influência ou não”, disse.

“O segredo da criação de conteúdo é ser você mesmo, estamos vendo na internet pessoas se moldando com que o mercado está exigindo. Vemos as pessoas se perdendo. Meninas que tinham conteúdo rico que estavam realmente fazendo a diferença na vida das pessoas que estavam a seguindo se moldando como o mercado estava exigindo” Polly

Identidade com o público

O influenciador, para ter engajamento, precisa passar ao público veracidade sobre seus gostos, modo de vida, construir de fato uma narrativa que seja quem você realmente é. A vinculação de publicidades, parcerias e post tem que estar dentro da sua linguagem.

“A gente como influenciador, temos que nos preocupar com aquilo que realmente a gente usa, recomenda e  que tem uma afinidade  Quando eu falo com as meninas, eu busco quem tem compatibilidade com comigo”, explica Simone Aline, influenciadora.

Saiba mais
Para assistir a live completa do 8º Fórum sobre Marketing de Influência – Empreendedores da Comunicação e do 3º Prêmio Microinfluenciadores, clique aqui.

banner-ofereciemento-micro