Young adult woman traveling and vlogging social media concept

Conheça alguns dos perfis mais relevantes das categorias automobilismo, decoração e empreendedorismo reconhecidos no 3º Prêmio Microinfluenciadores Digitais

Os destaques do 3º Prêmio Microinfluenciadores Digitais, iniciativa pioneira do Cecom – Centro de Estudos da Comunicação e da Plataforma Negócios da Comunicação, serão conhecidos no dia 6 de março, durante a cerimônia de premiação e também do 8º Fórum sobre Marketing de Influência.

Enquanto a cerimônia não chega, conheça alguns dos perfis mais relevantes nas categorias automobilismo, decoração e empreendedorismo nas palavras de seus idealizadores.

Automobilismo

Eliana Malizia

Antes de ser influenciadora digital, eu sou fotojornalista, colunista, empreendedora, diretora de um site de conteúdo de lifestyle, colaboro escrevendo para revistas, e claro, as mídias sociais hoje são essenciais para divulgar nossas publicações e conteúdos. É por meio do meu Instagram que ajudo muitas pessoas com dicas de segurança, da melhor compra de um equipamento ou uma motocicleta ou de um destino de uma viagem, por exemplo.

Por meio dos stories faço diário de bordo das minhas viagens, mostro também detalhes dos veículos e produtos que estão sendo avaliados. Mostro um pouco de mim, minha vida no meu cotidiano. E no feed as fotos sempre motivadoras, sempre na pegada good vibes, passando boas ideias, conteúdos que acrescentam, somam e que também motivam muitas mulheres a pilotarem grandes motocicletas.

Eu me inspiro muito em todas mensagens que recebo de agradecimento. Tenho um retorno dos seguidores e leitores tão gratificante. Diariamente recebo mensagens de pessoas me falando que as motivo e que as inspiro.

Praticamente todas minhas publicações têm parcerias envolvidas, seja a jaqueta que estou usando, capacete, marcas de pastilhas de freio, montadoras, até mesmo marcas de produtos de beleza me procuram. Porém, um detalhe importante: já disse muitos nãos. Só trabalho realmente com produtos que me agradam, por isso tenho credibilidade. Prezo a autenticidade, sou sempre espontânea e sou eu mesma, a Eliana.

Nunca pensei em milhões de seguidores. Sou da geração “menos é mais”. Prefiro continuar aos poucos, fazendo meu trabalho de uma forma que eu consiga responder todo mundo, que eu consiga também ter um nível de qualidade nos comentários e mensagens. Ficar recebendo mensagens sem sentido, só faria eu perder meu tempo e dos meus clientes também!

Giulieny Brandão

Eu sou jornalista por formação e sempre trabalhei com carro. E antes de criar um perfil no Instagram eu já tinha um canal no YouTube ao qual eu me dedicava 100%.

Até que chegou o momento que eu percebi que não dava mais para adiar a criação do Instagram, que continua sendo uma ferramenta super importante.

Então há uns três anos eu comecei com o perfil e já percebi um engajamento forte do público rapidamente desde o início e me motivei com essa resposta positiva da audiência e não parei mais de fazer. Daí mantive o trabalho com o Instagram em paralelo ao do canal no YouTube, que continua sendo minha principal plataforma, com mais de 500 mil seguidores.

Sempre com conteúdo de carro, que ajuda no processo de decisão de compra e que serve também de entretenimento para aquelas pessoas que são apaixonadas por carro.

Com esse trabalho, eu já consigo ganhar dinheiro: no YouTube, por meio do AdSense, e de publis no Instagram.

Eu espero ser seguida, sim, por milhões no YouTube, onde eu já tenho um perfil maior, com esse trabalho contínuo. No Instagram eu já não sei, porque a própria plataforma está sempre reduzindo nossa exposição, nosso alcance.

Heaven Robert: Fusca da Sam – Sâmela Jordão

Eu tenho um perfil pessoal e sempre coloquei muita foto do meu Fusca e os meus amigos me questionaram: por que não fazer um perfil só para ele?

A minha conversa com a audiência se dá por meio de lives. Nelas, eu sempre procuro bater um papo com o pessoal, bem leve, falando do dia a dia com o Fusca, reformas, essas coisas. E nos stories eu costumo abrir perguntas e enquetes também, mas também falo do dia a dia, às vezes algum perrengue.

Um exemplo dessa interação: eu abri uma enquete nos stories perguntando sobre o uso de extintor de incêndio no carro, se o pessoal concordava ou não, e pedi para a galera compartilhar histórias sobre isso e tudo, levando ao pessoal a ter uma consciência, especialmente para nós que temos carro antigo, a ter extintor de incêndio no carro seguindo os parâmetros do Inmetro.

Muito do que eu trago na página vem do que os meus próprios seguidores me contam e compartilham comigo, histórias dos carros com a família deles, histórias pessoais. Eu costumo dizer que eles são minha família.

Hoje, a gente consegue ter ganhos financeiros com o perfil. Não é sempre, mas às vezes as marcas nos procuram. Ainda não é a minha base principal de ganhos, até porque a página ainda é muito recente. O que vem muito é a permuta, com serviços de oficina, mecânica, peças, funilaria, pintura, peças.

Eu quero alcançar cada vez mais gente, mas não é só isso. Fico muito feliz quando o que eu posto ajuda as pessoas, quando a pessoa percebe que não está realizando alguma manutenção de forma correta porque viu no meu perfil que eu estou fazendo aquilo de uma maneira profissional, correta. Tem gente que quando vai comprar um Fusca manda mensagem para mim, para eu avaliar. Não adianta eu ter cem mil seguidores se eu não conseguir ajudar ou inspirar essas pessoas.

Decoração

Oh de casa – Guga e Marcos

Começamos o perfil Oh de Casa com a intenção de incentivar e ensinar sobre decoração de maneira mais descontraída, simples e criativa. Mostrando maneiras mais fáceis e acessíveis de decorar e reformar!

Nós gostamos de nos comunicar sempre com bom humor e transparência com nossa audiência. Seja mostrando nosso dia a dia ou fazendo alguma reforma. Na nossa visão, o nosso diferencial dos outros perfis do nicho de decoração, é justamente esse, conseguimos levar a nossa personalidade para qualquer assunto que nos propomos a falar ou fazer, e atualmente o foco não é apenas a decoração, mas também o nosso relacionamento!

A principal inspiração pro nosso conteúdo é a nossa vida, o famoso #lifeStyle. Começamos com a intenção de mostrar ideias e tendências de decoração, porém quando começamos a mostrar o rosto e falar um pouco mais sobre nossa vida isso se tornou o principal interesse da nossa audiência e assim conseguimos agregar vários temas como culinária, moda, viagem e até sobre sexo e relacionamento!

Hoje o nosso perfil é uma das nossas fontes de renda, temos contratos de publicidade mensais com algumas empresas e também por meio de posts patrocinados de marcas no nosso perfil!

É um dos nossos sonhos nos tornarmos influenciadores de milhões! Poder trabalhar só com o perfil e por meio de uma comunidade maior conseguir realizar nossos projetos e ideias e com milhões de pessoas isso se tornaria ainda maior. E nossos planos envolvem, daqui a 5 anos, estar morando em São Paulo e trabalhando exclusivamente com a criação de conteúdo para o Oh de Casa!

Apezinho DIY – Márcia Gomes

Eu criei o perfil em meados de 2018, quando aluguei um apartamento em Brasília. Por ser um apartamento alugado, quando eu comecei a postar algumas fotos já com mudanças de pintura nas paredes começaram a surgir algumas perguntas, como se eu teria algum tipo de problema por estar pintando as paredes do apartamento. E aí eu comecei a perceber a dificuldade das pessoas em transformarem apartamentos alugados em lares, criar uma identidade própria.

Daí comecei a divulgar fotos de transformação do apezinho, que eu estava realmente transformando um apartamento alugado no meu lar, porque eu viver lá por muitos anos. Quebrar esse pensamento que as pessoas têm de que você não pode fazer nada por conta do contrato de aluguel. E eu comecei a criar muita afinidade com os seguidores.

A partir daí, eu construí uma comunidade de pessoas que estão na mesma situação, e ficaram encantadas com o fato de eu transformar o apartamento. Minha relação com a audiência é super aberta, estou sempre respondendo os comentários ou mensagens via direct. Eu sempre explico que se o seu contrato diz que determinada parede é branca e tem de ser devolvida assim, isso não impede que você pinte, coloque prateleiras ou quadro nela.

Além da transformação do apartamento, eu sempre procuro trabalhar com a inclusão de mulheres na marcenaria, no mundo do “faça você mesmo”. Mostrar que elas têm a capacidade de trabalhar com isso com tanto brilhantismo como um homem ou profissional da área faria. Eu busco muitas referências na área de decoração, mas meu grande foco é o reaproveitamento, o reúso de objetos.

Hoje, eu tenho ganhos financeiros a partir do perfil, por meio de parcerias com marcas e fabricantes. Muitos têm trabalhado com permuta, até por conta da pandemia, mas vários já pagam cachê. Isso ainda está bastante recente, começou no segundo semestre de 2020.

Meu perfil é bastante orgânico e o aumento de seguidores é bastante motivacional, mas o que eu realmente me preocupo é na reutilização de materiais e também na inclusão das mulheres e geração de renda para quem não tem. Se eu tiver milhões de seguidores, que seja por esses motivos, e não só por fotos bonitas.

402 Apto – Ada e Leo

Nós tínhamos acabado de comprar um apartamento, próximo do nosso casamento, e eu estava buscando inspirações para decorar. Eu seguia alguns perfis que gostava muito, como a da Débora Alcantara – Apartamento 33 – e o da Rayza Nicacio – Rayza Home. Sempre gostei muito de decoração, tanto é que por causa do Instagram fiz design de interiores. Até que meu esposo perguntou por que eu não criava o meu próprio perfil.

Eu resisti no começo, porque pensava que o meu apartamento não seria tão bonito quanto o delas e que ninguém ia querer acompanhar. Na época ainda era meu noivo, ele criou o perfil e falou: “agora você vai ter que alimentar o perfil”.

Mesmo que ninguém fosse acompanhar, eu resolvi registrar essa fase da reforma, que eu gostei muito. E as pessoas foram chegando e se identificando com a minha forma de reformar e foram ficando.

Para mim, essa conversa com a audiência funciona em dois pontos: ser verdadeira, não faltar com a verdade para eles – isso traz segurança para as pessoas – e falar do meu jeito, com a mesma espontaneidade com que eu falo com os meus amigos, porque isso dá a nossa cara ao perfil. E os meus conteúdos surgem muito das necessidades que eu tenho em mudar a decoração da minha casa.

Eu já consigo monetizar o perfil. No meio de 2019, eu me demiti do meu emprego formal para me dedicar totalmente ao Instagram. E consigo ganhar dinheiro por meio da publicidade que empresas fazem para divulgar suas marcas no meu perfil.

Sobre me tornar seguida por milhões de pessoas, eu adoraria, porque de alguma forma é o reconhecimento do seu trabalho. Mas número de seguidores não é tudo. O que eu realmente me preocupo é em criar conteúdos relevantes e criativos, que fujam da mesmice, para as pessoas tornarem suas casas a ter personalidades próprias e que eu realmente consiga ajudá-las nisso.

Empreendedorismo

Raquell Menezes

O que me motivou a iniciar o perfil no Instagram foi a necessidade de mostrar meu trabalho como spiritual coach nas plataformas de redes sociais e ampliar o contato com a audiência. Então eu abri meu canal no YouTube – sou a primeira afrobrasileira a abrir um canal por lá falando sobre lei da atração e ciências metafísicas.

A minha conversa com esse público é de partilha, de compartilhamento de informações e conhecimento. Sou particularmente ativa nos stories, onde respondo às perguntas que as pessoas me mandam. Então é uma conversa que envolve muita conexão.

E a inspiração para isso é minha própria vida, o errar e o acertar diários, e a minha própria audiência, que dá o tom sobre o tipo de conteúdo que querem ver.

Com isso, consigo ter retorno financeiro sobre o trabalho. Eu sou Hotmart Black, ou seja, já faturei mais de R$ 1 milhão em vendas de produtos digitais – no caso, cursos. Como sou produtora de conteúdo, também tenho diversos treinamentos, e sou idealizadora da metodologia “A metafísica do dinheiro”, então lá a gente divulga esse trabalho.

Acredito que toda pessoa que inicia nas redes sociais deseja influenciar milhões de pessoas, então para mim é um desejo sim. Daqui a cinco anos, chegar a dois ou três milhões de seguidores seria um número interessante.

Carol Farina

Com certeza o que me motivou a criar o perfil no Instagram foi ficar ainda mais próxima das minhas seguidoras e clientes do @carolfarinaofficial e poder dividir as contas, porque antigamente o instagram da marca e o pessoal eram um só.

Como estou no mercado há quase 9 anos, acredito que muitas seguidoras tenham curiosidade e dúvidas sobre o mercado da moda, empreendedorismo e até mesmo sobre a minha vida, então nossa conversa funciona de uma forma super natural e gostosa, com uma troca super bacana.

Para produzir conteúdo, me inspiro no meu cotidiano, nas minhas paixões. Gosto de produzir o real, nada fake! Então posto o que faz parte do meu dia a dia. Sou uma pessoa muito positiva, que ama todo esse mercado, mas ao mesmo tempo também a natureza e viajar. Então acabo postando realmente a vida real da Carol! Inclusive, acredito que o mix do perfil pessoal e o da marca é que me fazem ter ganhos financeiros bem bacanas.

Acho muito válido ter meu trabalho reconhecido para milhares de pessoas, principalmente por trabalharmos há anos de uma forma super correta, honesta, com princípios super legais e trazendo muito conteúdo diariamente para os seguidores/clientes. Então ficaria sim super feliz em ter esse reconhecimento, de milhões de seguidores, alcançado em cinco anos!