Playbook

A Google News Initiative disponibilizou no dia 17 de agosto, em português, o Playbook de Startups, um guia com dicas e boas práticas para startups de jornalismo digital. O documento conduz os empreendedores por um roteiro que prioriza a criação de negócios economicamente sustentáveis e comprometidos com a produção responsável de conteúdo. Isto é, um guia com dicas para empreendedores que vão desde a criação da empresa e do produto, passando pelo desenvolvimento de audiência, modelos de negócio e fontes de investimento.

O Playbook foi criado com base em edições do programa de aceleração de startups jornalísticas da Google News Initiative, o chamado GNI Startup Lab. O objetivo é contribuir para que novas empresas jornalísticas cresçam seus negócios de modo sustentável no meio digital, alcançando novos públicos com produtos inovadores e rentáveis.

Conteúdo

O Playbook será constantemente atualizado e está dividido em seis capítulos: “Uma introdução às startups de jornalismo”, “Defina o problema que você está tentando resolver”, “Construir e medir seu produto mínimo viável (MVP)”, “Identifique a missão e os valores que irão guiá-lo”, “Faça um plano de negócios para a sua ideia” e “Defina o sucesso para o seu negócio”.

O material também inclui orientações para organização administrativa, identificação de fontes de financiamento e receita no anexo Guia de Iniciação, com os tópicos “Aprofunde-se em seu produto”, “Aumente e envolva seu público”, “Encontre o dinheiro de que você precisa para lançar e sustentar seu negócio” e “Configure suas Operações”.

Ponto de partida

“A proposta é oferecer um ponto de partida para empreendedores da área. Mas, acaba sendo também uma grande fonte de contatos e de dicas de onde buscar mais informações, com uma série de referências e instituições que podem ser muito úteis. É um material muito rico, especialmente diante da falta de programas específicos de aceleração e programas de startups focados em jornalismo. Não é fácil encontrar literatura e referências”, afirma Fabiana Zanni, coordenadora da edição do Startup Lab da Google News Initiative no Brasil.

De forma complementar, as startups jornalísticas irão encontrar modelos e recursos que podem ser utilizados para o desenvolvimento do seu negócio. Media kits, Planos de Negócios, exemplos de contratos para freelancers, templates para contratos publicitários e as Políticas de Independência Editorial são alguns dos documentos prontos para uso imediato.

Startup Lab brasileiro

A organização do manual foi feita a partir das experiências adquiridas ao longo das diferentes edições do Startup Lab da GNI ao redor do mundo. No Brasil, o programa teve início em outubro e encerrou sua primeira turma em maio de 2021. E acelerou dez organizações jornalísticas: Agência BORI, Agência Tatu, Alma Preta, AzMina, Fervura, São Paulo para Crianças, Galápagos , Núcleo Jornalismo, MyNews e Ponte Jornalismo .

Com o apoio de especialistas do Insper e do Laboratório de Inovação Echos, a Startup Lab percorreu durante 20 semanas de trabalho a jornada do empreendedor no mercado de notícias juntamente com as startups participantes do programa.

Os fundadores mergulharam em questões essenciais para a operação de suas empresas. Como por exemplo a escolha do melhor modelo de negócio, e foram provocados a pensar o jornalismo além da produção de matérias e reportagens, observando também as demandas do mercado consumidor de informação pelo principal produto do seu trabalho, a notícia.

Cada empresa recebeu até US$ 20.000 em financiamento, além de mentoria, treinamento e workshops sobre tópicos como estratégia, produto, modelo de negócios, vendas e marketing, construção de comunidade e captação de recursos.

Expectativa

“Esperamos que o Playbook seja útil para novas organizações jornalísticas, que têm demonstrado sucesso diversificando modelos de negócios, desenvolvendo produtos inovadores e gerando receita por meio da tecnologia”, diz Fabiana Zanni.

A expectativa do Google com o manual é, principalmente e primeiramente, ajudar os empresários a também descobrirem o quanto estão prontos para ingressar neste ramo do setor privado, com uma proposta própria. Caso ainda não estejam preparados, a ideia é que o documento os auxilie a perceber o que precisam desenvolver para alcançarem o sucesso. “Seguiremos trabalhando em estreita colaboração com nossos parceiros no jornalismo, buscando promover diversidade, inovação e sustentabilidade no ecossistema de notícias”, complementa Fabiana Zanni.