print-all-in
Fátima Pissara, da Mynd; Henrique Mendonça da Accor, e a influencer Laura Brito

 

Marcas e agências trabalham com diferentes ferramentas para medir o retorno de um influenciador que entrega um trabalho de divulgação ou campanha publicitária. No painel “All in sem blefe – Métricas e análises de ROI cada vez mais certeiras dão segurança às marcas na hora de investir em creators”, no 7º Fórum Marketing de Influência, especialistas comentaram o tópico.

Para Fátima Pissara, CEO da Mynd, apesar de toda tecnologia à disposição, observar o comportamento do influencer e a forma como ele se comunica, engaja e se identifica com seu público é um dos termômetros mais certeiros para garantir o bom resultado em uma parceria.

Bom negócio

Laura Brito, influenciadora de Beleza e Estilo de Vida, é uma das provas de que a identificação está na base do bom negócio. Com mais de 5,2 milhões de seguidores, apresenta uma das melhores médias de engajamento.

Como afirma Henrique Mendonça, Media & Advertising & Social Content Manager South America da Accor. “Antes, as pessoas contratavam criadores com base em ‘eu gosto desse ou daquele’. E hoje qualquer agência tem ferramentas que mostram qual o engajamento de um influenciador, como a Laura, e sabe que os números que estão acima da média. E não importa onde o influenciador está para ele ter engajamento, não é a região que vai impedir o bom criador de ser visto pelas agências. O pior cego é o que não quer ver”, define o executivo.

Potencial de vendas

Durante a pandemia, Laura realizou um bazar beneficente com o intuito de arrecadar dinheiro para ajudar instituições. Para isso criou uma loja online e colocou produtos de sua marca. “Esgotou tudo em 24 horas e foi ali que percebemos o nosso potencial de vendas”, lembra a influenciadora natural de Recife, que vive em João Pessoa, dizendo que essa ação impulsionou sua equipe, juntamente com ela, a pensar nos próximos projetos.

Ela lembra que ser nordestina atrapalhou sua carreira em diversos momentos. “Falavam para eu diminuir o sotaque, brincar menos. Ou achavam que por ser do nordeste teria um estigma de não saber fazer as coisas a sério. Mas se eu mudasse para me adaptar a cada marca, eu perderia o engajamento com meus seguidores, que estão ali por eu ser como sou e continuar assim”, explica.

Credibilidade

“Os números pelos números não se sustentam se você não faz um trabalho de credibilidade”, explica Henrique Mendonça, da Accor. Ele afirma que existem diversas variáveis para avaliar os resultados que um influenciador garante para a marca. Como engajamento, conexão com a marca, retorno em forma de acessos em site, compartilhamento, divulgação de um produto, entre outros. “É importa que o influenciador trabalhe de tal maneira que ele poderá atuar em diversos pontos de um mesmo funil para uma marca”, adiciona.

Saiba mais

Para acompanhar a live completa do 1º dia do Fórum, clique aqui.

Para acompanhar a live completa do 2º dia do Fórum, clique aqui.

Para acompanhar a live completa do 3º dia do Fórum, clique aqui.

Para acompanhar a live completa do 4º dia do Fórum, clique aqui.

rodape-patrocinio