Durante o período da quarentena, o consumo de conteúdo nas redes sociais aumentou e mostrou uma mudança de comportamento no público, que em grande parte passou a trabalhar de casa, ter aulas online e sair menos. Comparando a semana de 9 a 15 de março com a semana seguinte, entre 16 e 22, o conteúdo para jovens e famílias teve aumento de 43,1% semana a semana; Notícias teve um salto de 725 milhões para 1,03 bilhão de acessos no período, seguidor por Jogos (20%), Entretenimento (22,8%) e Redes Sociais (26,2%), de acordo com dados da Comscore.

Com isso, as marcas que têm seus nomes associados a influenciadores que marcaram forte presença online neste momento, também cresceram e ganharam mais visibilidade dos consumidores. Um estudo nacional divulgado pela Socialbakers, mostrou o desempenho das empresas brasileiras que mais trabalham com influenciadores durante a pandemia.

Marcas que mais investiram

A marca de produtos de limpeza OMO ocupa o primeiro lugar no ranking, com 242 perfis fazendo 594 menções da marca; seguida da Gympass Brasil com 202 produtores de conteúdo e 211 citações; e o aplicativo iFood, com 68 influenciadores que mencionaram a marca 145 vezes. Destaque ainda para a cervejaria Brahma com 65 perfis e 172 menções, bem como a Seara com 59 influenciadores e 64 citações.

Alexandra Avelar, Country Manager da Socialbakers, afirma que mesmo com o impacto econômico da covid-19, as marcas ainda estão investindo no marketing de influenciadores para atingir seu público-alvo. “Os consumidores estão cada vez mais buscando opiniões e vozes confiáveis ao tomar decisões de compra. Isso cria uma grande oportunidade para influenciadores e marcas se unirem para criar conexões autênticas com o público”, explica Alexandra.

Quem mais engajou

A pesquisa coloca em destaque as empresas Granero Transportes, Mercado Pago Brasil, Sabonete Francis, Cartão Elo e Tramontina, que tiveram repercussão positiva em ações envolvendo os influenciadores. Para chegar a esse resultado, é levado em conta o cálculo da média de interações na postagem de um influenciador que menciona a marca em comparação com uma postagem publicada pela própria empresa.

De acordo com dados da Socialbakers, no segundo trimestre de 2020, 4.104 postagens de influenciadores usaram hashtags como #ad e #publi no Brasil, uma alta de 14,64% em relação ao trimestre anterior e de 11,28% em relação ao segundo trimestre do ano passado. Já os microinfluenciadores se tornaram mais importantes e se tornaram a maioria entre os creators – mais de 95,9% do total na América Latina são microinfluenciadores.

Reconhecimento

Os microinfluenciadores passaram a ser reconhecidos em uma premiação promovida pela Plataforma da Negócios da Comunicação, que também atua no reconhecimento dos melhores influenciadores digitais do país, com o pioneiro Prêmio Influenciadores Digitais – este ano, com uma edição totalmente online e mais um Fórum sobre Marketing de Influência com os principais nomes do mercado debatendo pautas relevantes.

Já em abril de 2021, a Plataforma da Negócios da Comunicação promove o Influent Minds Festival, único prêmio totalmente dedicado ao reconhecimento de cases e ações inovadoras com influenciadores digitais. “O mercado evoluiu muito, temos cases de alto nível e já está na hora de realizarmos uma análise criteriosa dessa produção, que merece seu devido reconhecimento”, explica Márcio Cardial, publisher da Plataforma NC e diretor do Cecom.

Saiba mais

  • Conheça quem são os 6+ relevantes influenciadores digitais em 21 categorias, clique aqui.