O Diário do Clima, projeto para monitorar publicações nos diários oficiais sobre meio ambiente e clima foi selecionado para receber apoio financeiro do Desafio da Inovação da Google News Initiative na América Latina.

O projeto tem o objetivo de auxiliar jornalistas e comunicadores no acompanhamento de atos relacionados com o clima publicados por estados e municípios brasileiros e reunidos por meio de inteligência artificial.

Diário do Clima

Oito instituições fazem parte da elaboração do Diário do Clima, com diferentes especialidades na cobertura jornalística sobre meio ambiente, análise de dados e transparência na administração pública, entre outras. São elas: #Colabora, ((o)) Eco, Eco Nordeste, Agência Envolverde, InfoAmazonia, ClimaInfo, Política por Inteiro e Open Knowledge Brasil.

“O Brasil é o país com a maior biodiversidade do planeta. E, hoje, infelizmente, é também um dos mais ameaçados pela destruição ambiental. Poucas vezes, ações de fiscalização e acompanhamento da legislação se fizeram tão necessárias. Este apoio do GNI é oportuno e será fundamental nesta jornada”, afirma Agostinho Vieira, editor do #Colabora.

O Diário do Clima vai monitorar a publicação de atos de autorização e normativos em diários oficiais, processando e categorizando o material com o auxílio de mecanismos de inteligência artificial, facilitando a filtragem e priorização da informação.

Jornalistas terão acesso a relatórios diários com as principais ações governamentais sobre o meio ambiente, facilitando a produção de conteúdos sobre o tema.

O Desafio da Inovação da Google News Initiative na América Latina recebeu inscrições de mais de 300 organizações jornalísticas de toda a região. Ao todo, foram selecionados 21 projetos na América Latina: oito do Brasil, cinco da Argentina, dois do Peru, um da Bolívia, um da Colômbia, um da Costa Rica, um da Guatemala, um do México e um de El Salvador.

De acordo com o Google, com esta iniciativa, iniciada em 2019, a empresa busca dar apoio ao desenvolvimento de novos produtos de notícias e modelos de negócio, “de modo a promover um ecossistema mais sustentável, diverso e, claro, inovador ao jornalismo”.