hand-drawing-bulb

A Covid-19 acelerou uma mudança da indústria criativa em direção ao trabalho freelance e independente. É o que aponta a pesquisa “O Impacto do COVID-19 na Indústria Criativa Global” promovida pela plataforma Genero. O relatório entrevistou 430 criativos – incluindo diretores, produtores, empresas de produção, agências, animadores – de 61 países diferentes no final de 2020 para entender melhor o impacto a médio e longo prazo da pandemia nas atividades relacionadas à essa indústria.

Segundo a pesquisa 81% dos entrevistados, afirmaram que sua renda foi reduzida no período de março de 2020 a setembro de 2020, e 40% sofreram ao ver sua renda ser cortada pela metade. Para Ale Lima, diretor Regional da Genero, as atividades estão passando por um momento complicado durante a COVID-19.

“Para o talento criativo, sem dúvida tem sido um momento extremamente difícil, mas esperamos poder desempenhar um papel na capacitação de criativos que buscam fazer uma mudança permanente para um trabalho mais flexível e independente, fornecendo acesso ao trabalho contínuo e oportunidades estimulantes de crescimento”.

Consequências da pandemia no trabalho criativo

Esse impacto levou muitos profissionais a buscarem empregos alternativos, com 72% deles tendo que mudar sua forma de trabalhar, seja de maneira temporária ou permanentemente. O resultado foi que muitos se adaptaram à entrega de serviços como animação e pós-produção em casa. Enquanto outros passaram a trabalhar como freelancers depois de muitos anos trabalhando em tempo integral.

A mudança para a contratação freelancer provavelmente será permanente, visto que apenas 12% dos entrevistados declararam que escolheriam o tempo integral como sua forma preferida de trabalhar no futuro. A grande maioria gostaria de trabalhar como freelancer (47%) ou como parceiro em um negócio criativo independente (35%), acelerando a mudança para um trabalho independente e flexível.

Flexibilização do trabalho criativo

A adaptação do trabalho criativo para um trabalho remoto durante a pandemia permitiu que as marcas pudessem acessar o trabalhador criativo de qualquer local do mundo. ”

Será interessante ver como a mudança para o trabalho flexível e independente afeta as estratégias internas. Durante 2020, ainda vimos um trabalho incrível entregue enquanto trabalhamos remotamente. A adaptação para usar um modelo criativo distribuído permitirá que as marcas acessem um conjunto de talentos globais, usando diversos criativos para garantir que sua marca seja localmente relevante em qualquer mercado ao redor do globo”, afirma Henric Larsson, fundador da empresa de conteúdo de serviço completo Chimney Group.

“Essas percepções são críticas para as marcas e agências entenderem, pois a fragmentação resultante mudará a maneira como elas envolvem talentos criativos no futuro. Um conjunto de talentos global e flexível oferece oportunidades para maior eficiência, escala e criatividade, mas para tirar proveito, novas estruturas e abordagens serão necessárias”, reforça Ale Lima.

Desafios

Entre os desafios que a pandemia impôs está a questão da produção, com aumentos no custo e no tempo necessários. Isso é impulsionado principalmente por novas medidas de segurança, como testes, sanitização, equipamentos de proteção, e aumento das taxas de seguro, bem como restrições de movimento.

Em lugares que as regulamentações locais permitem, pesquisas adicionais da Genero demonstram que a produção está avançando em velocidades encorajadoras. No entanto, já existem indicativos de que haverá mudanças na forma como a produção ocorrerá por um longo tempo, incluindo medidas de segurança significativas, uma necessidade contínua de flexibilidade e adaptabilidade, e uma compreensão compartilhada das considerações do dia a dia que esse novo normal traz.