Se por um lado a pandemia criou situações críticas para os mais diversos segmentos da indústria, do comércio e de serviços, com empresas fechando suas portas, demitindo colaboradores, com dificuldade para buscar e conseguir créditos que permitam manter seus negócios. Por outro, também fez com que as pessoas se mantivessem em casa gerando novas oportunidades de negócios. Novos serviços de delivery, vendas online, crescimento do streaming, entre outros.

Numa pequena rotisserie italiana em Moema, com a venda por whatsapp, o dono teve que ampliar a equipe, pois seu faturamento mais do que dobrou. Nos prédios residenciais, os entregadores do Rappi, IFood fazem fila. Todos estão tendo a necessidades de rever seus negócios e se reinventar.

As oportunidades também se apresentaram para o marketing de influência a partir dessa disrupção causada pela covid-19. Na BR Media Group, o mês de Abril foi o nosso melhor mês em número de ações e faturamento. Porque? Porque mantivemos o contato com nossos clientes, oferecendo oportunidades para falar através das redes sociais já consolidadas. E também do TikTok que segue numa escalada significativa para que as marcas possam se aproximar das milhões de pessoas que estão em suas casas buscando opções de entretenimento e informação.

As lives realizadas por artistas, com o patrocínio de marcas e, que tiveram sua divulgação realizada também por outros influenciadores, foram responsáveis por uma boa parte desse crescimento. Esse formato de lives, que já existia se tornou a grande sensação desse momento que estamos vivendo. Lives de artistas a chefs de cozinha, cursos de ioga, entrevistas, e assim por diante.

Muitas das ações dos clientes regulares da BR Media, também foram mantidas, pois notaram que as pessoas não deixariam de consumir seus produtos, não mais em bares e restaurante, nos shoppings ou academias, mas em suas casas.

Segundo pesquisa recente, divulgada pelo You Pix, 90% dos respondentes afirmou que está passando mais tempo nas redes sociais durante a quarentena. Afinal, estão com tempo disponível para isso. Não é também, o que vem ocorrendo com você leitor desse texto? Seja no Face com a família, no Instagram, vendo lives no YouTube ou mesmo no WhatsApp com os amigos.

Entre janeiro e abril o crescimento de uploads de lives no YouTube foi de 15,6% e no Facebook de 19,3%.

Segundo estudo da Comscore, já no início da quarentena, comparando as semanas (semana de 9 a 15 e 16 a 22 de março) às Redes Sociais apresentaram um crescimento de 26%, mostrando uma clara mudança dos hábitos. Tendência que só cresceu nos dias que se seguiram, conforme as pessoas se mantiveram em casa.

As marcas que souberam se aproveitar disso tiveram seus resultados muito mais expressivos do que os esperados, no Alcance das mensagens, Impressões, Compartilhamentos, cliques no Swipe-up ou nos links inseridos. Chegando em alguns casos a 60% segundo o monitoramento que realizamos para esses clientes.

Olhando para o futuro pós-covid-19 dá para apostar que o formato das lives deve se manter, senão com a frequência atual, mas se tornou mais uma opção para as marcas assim como TikTok consolidada como uma rede relevante.

*Celso Forster, Partner & Account Director da BR Media