Esporte, despesas e dinheiro foram as três categorias mais buscadas por brasileiros no Google na primeira semana deste ano. Foram mais de 3,3 milhões de buscas relacionadas a esporte, um total de 1,77 milhões sobre despesas do fim do ano e 1,5 milhão sobre dinheiro, segundo pesquisa da Web Estratégica, consultoria em marketing digital especializada em Marketing de Conteúdo e SEO.

Dentro do segmento de esportes, mais de 100 mil buscas foram realizadas sobre a Copa São Paulo, outras 100 mil sobre a Copinha, 50 mil sobre a Copa do Mundo 2022 e mais de 20 mil sobre o Campeonato Inglês.

“Os resultados mostram que mesmo diante da crise econômica enfrentada pelo país e da grande preocupação dos brasileiros com finanças, a paixão do nosso povo pelo esporte sempre está em evidência, mostrando a importância do esporte no dia-a-dia do brasileiro e também como entretenimento”, afirma Everton Andrade, CEO da Web Estratégica.

Pesquisa no Google
Ao todo, foram registradas mais de 6,5 milhões de pesquisas sobre os três assuntos no período (Foto: Pixabay)

Em relação as despesas, os assuntos mais procurados em pesquisas foram IPVA 2022 SP (1 milhão), Detran SP (200 mil), Detran PR (100 mil) Consulta IPVA (50 mil), IPVA 2022 PR (50 mil), IPVA 2022 RJ (50 mil) IPVA 2022 PR (50 mil) e IPTU (20 mil).

A terceira categoria mais buscada foi dinheiro, que acumulou 1,5 milhão de buscas no período e a maior parte delas estavam relacionadas ao PIS 2022.

Entretenimento também entra no ranking ocupando a quarta colocação com um total de 1,26 milhão de buscas no período. No total, mais de 500 mil pesquisas foram feitas com a frase ‘Feliz ano novo’, 200 mil sobre o Carnaval 2022, 100 mil sobre o filme ‘Juntos para Sempre’ e outras mais de 100 mil pesquisas foram sobre o BBB 22.

“A partir desta análise é possível notar que as resoluções dos brasileiros para este ano seguem linhas variadas, no entanto, é notável que a população se mostra muito preocupada com questões financeiras, tanto pelo contexto da pandemia quanto pelos altos índices de desemprego”, afirma Everton Andrade.