captura-de-tela-2021-04-29-as-15-48-01

Há dez anos, o mundo era um lugar bem diferente. Não havia, por exemplo, o Uber e outros serviços de mobilidade acionados por aplicativos; as tão comentadas plataformas de streaming também ainda “engatinhavam”.

Do ponto de vista da comunicação e PR, os cenários e estratégias eram outros. No entanto, algo que já existia – e que ainda persevera – é a Pesquisa Empresas que Melhor se Comunicam com Jornalistas.

Desde a primeira edição, foram mais de 800 troféus condecorando as principais marcas do mundo corporativo nacional, além de dezenas de horas em cerimônias e networks qualificados. Em 2020, acompanhando as tendências do novo normal, mais uma vez, inovou ao apresentar um conteúdo descentralizado e totalmente digital.

Certamente, a pesquisa e a premiação não existiriam sem as empresas homenageadas e, também, o público de jornalistas que são convidados, anualmente, a votar na pesquisa para indicar de forma livre e direta as marcas que melhor desempenham as boas práticas no diálogo institucional.

Algumas corporações se destacam por um item impressionante: foram contempladas em todas as dez edições. Ouvimos, de representantes de cada uma delas, o significado de uma década de reconhecimento. Confira:

BAYER
”Ser premiado pelo nosso relacionamento com a imprensa é motivo de grande orgulho e nos traz uma grande responsabilidade. Estamos completando 125 anos de atuação no Brasil e acreditamos que temos a missão de ampliar cada vez mais as discussões sobre saúde e nutrição, áreas em que somos líderes globalmente e que são fundamentais para a vida. A imprensa exerce um papel muito importante na sociedade, afinal a informação impacta o comportamento das pessoas e das organizações, além de ser peça-chave de todo o sistema democrático.

Queremos construir ainda mais pontes com a imprensa, ampliando o diálogo e as discussões sobre os novos desafios que a sociedade enfrenta hoje e no futuro.

Vejo a imprensa ganhando cada vez mais relevância, como uma das principais fontes confiáveis de informação. Isso ficou evidente nesta pandemia, quando teve papel essencial de conscientizar a sociedade e ajudar a esclarecer as incertezas que ainda estamos vivendo: ela ficou mais fortalecida e mais respeitada.”

COCA-COLA
“Só em 2020, um ano ímpar, de muitas dificuldades para todos, foram 50 porta-vozes da empresa que atenderam às demandas da imprensa, mesmo com todos os desafios impostos pela pandemia. É muito bom que no Brasil tenhamos uma imprensa séria e livre, por isso conduzimos essa relação com muito comprometimento e nos colocamos sempre à disposição para falar de todas as ações. Esse reconhecimento, uma vez que a pesquisa foi feita com os próprios jornalistas, nos dá muito orgulho.

Uma imprensa qualificada, que oferece informação precisa e responsável, é primordial para que tenhamos uma coletividade cada vez mais solidária e justa. O papel dela na pandemia do novo coronavírus tem sido crucial, munindo a população de informações para que superemos esse desafio o mais rápido possível.

A presença de influenciadores digitais de fato vem crescendo muito e ganhando relevância no ambiente comunicacional, mas acredito que a imprensa tradicional continua e continuará sendo inestimável para a sociedade.”

VOLKSWAGEN
“Conexão. Essa é a palavra que eu acredito que defina a importância de se comunicar bem, seja com jornalistas, clientes, concessionários, ou qualquer outro público de relacionamento. Esse resultado é fruto de um ciclo estratégico, que envolve planejamento, dedicação, criatividade e, principalmente, confiança. E essa construção vem de longo prazo. Dentro e fora da empresa.

Além da comercialização de veículos, a marca vem expandindo suas fronteiras e está se transformando em uma empresa de tecnologia, oferecendo serviços dentro do carro e soluções de mobilidade. E nós, como time de comunicação, temos um papel fundamental na construção dessa imagem. É um desafio enorme participar dessa transição, mas acredito que estamos no caminho certo, pois a digitalização e a proximidade com as pessoas são uma via só de ida.

A imprensa nunca perdeu sua importância. Assim como as empresas, ela também está se transformando, enfrentando novos desafios e se reinventando. Seja especializada ou não, a imprensa tem buscado estar cada vez mais próxima de seus públicos. As reportagens especiais, as análises e críticas continuam a formar opinião com qualidade, com fundamento e, na maioria das vezes, com imparcialidade. Acredito que esse seja o principal papel da imprensa. Em um momento com tantas fake news, de fato, é um grande desafio também.”

PETROBRAS
“Reconhecemos a importância do jornalismo, especialmente num ano desafiador como 2020, em que tivemos a oportunidade de valorizar a informação e a imprensa profissional. Nós, da assessoria de imprensa da Petrobras, buscamos evoluir junto com o jornalismo e com a sociedade em geral. Ao longo dos últimos anos, nos tornamos mais digitais e mais ágeis para acompanhar o crescimento da cobertura em tempo real; nos aproximamos dos veículos de imprensa e dos canais digitais; e estamos constantemente nos aperfeiçoando para construir um relacionamento transparente e profissional com a imprensa.”

PFIZER
“É uma demonstração de que o trabalho que temos feito tem sido alinhado com as expectativas da imprensa e a gente busca, cada vez mais, apoiá-la na missão de levar mais informação de saúde de qualidade e credibilidade.
É um grande privilégio ter esse tipo de reconhecimento e, ao mesmo tempo, fica o nosso compromisso de cada vez trabalhar para melhorar ainda mais essa relação e poder traduzir termos tão técnicos para a população em geral por meio dos veículos de comunicação.

Acredito que, durante a pandemia, os papéis da imprensa, assim como o da indústria farmacêutica, foram resgatados. No caso da saúde, ficou muito claro o quanto uma doença pode impactar a vida das pessoas, tanto na mortalidade quanto no cenário econômico e social.

A imprensa teve a função de educar a população sobre a Covid-19, levar informação sobre prevenção e esclarecer muitas fake news que apareceram. Ela resgatou a importância de termos veículos sérios, que tratam as informações com muita qualidade. Ao mesmo tempo, os influenciadores digitais ganham relevância, mas todos pautados pela informação correta. Nos últimos meses foi evidenciada a importância de ter fontes críveis de dados, que ajudam a população a se informar e a ter sua própria opinião.”

BANCO DO BRASIL
“Nesses dez anos, os deadlines da imprensa ficaram mais curtos e os relacionamentos com os jornalistas ganharam maior complexidade, já que o volume de informações que dizem respeito às organizações e que as influenciam cresceu exponencialmente. Em diversos aspectos, a assessoria de imprensa do BB tornou-se bem diferente de uma década atrás, mas isso não impediu que mantivéssemos princípios que contribuíram para esse reconhecimento dos jornalistas.

O maior acesso à informação e a entrada de novos agentes nesse ecossistema da comunicação podem ser vistos como novidades que diminuem o protagonismo da imprensa em influenciar os debates da agenda pública.

Outra forma de se enxergar a nova arena da comunicação é imaginar que a imprensa conseguirá se reinventar para continuar relevante nos campos social, político e econômico. Acredito mais nesta hipótese, a partir da premissa de que sempre haverá espaço para informação bem apurada, equilibrada e com a complexidade dos diversos pontos de vista.

O excesso de informação traz consigo a vertigem de não se saber para onde olhar ou em que devemos deter nossa atenção. Talvez sempre exista uma necessidade nossa de um certo ordenamento do mundo, com uma construção de sentidos que estabeleça relevâncias entre informações. Acredito que sempre precisaremos de referências, independentemente das opções de vida de cada um. Imagino que essas sejam atribuições em que a imprensa tenha atuação indispensável.”

GERDAU
“Mesmo diante de um ano atípico e desafiador, consideramos que a premiação é reflexo de um trabalho colaborativo e de um relacionamento transparente e ético com os jornalistas. Buscamos reforçar de maneira contínua nossos compromissos junto aos nossos públicos de interesse e, sendo a imprensa um pilar estratégico da democracia, enxergamos na comunicação uma ferramenta fundamental para levar à sociedade informações de qualidade.

O trabalho da imprensa é importante para o fortalecimento da democracia e para a construção de uma sociedade mais justa. Neste sentido, o compromisso da imprensa em levar informação de qualidade e com credibilidade à sociedade é essencial. Em um período marcado pelo consumo crescente de informação por meio de redes sociais em 2020, em função da pandemia, ficou ainda mais evidente que a imprensa, mesmo com o avanço de todas as novas mídias, continua exercendo um papel social indispensável, sensibilizando a sociedade brasileira sobre os mais diversos temas.”

USIMINAS
“A Usiminas sempre se pautou por um relacionamento próximo e transparente com os profissionais de imprensa. Mais do que pela obrigação em manter a sociedade devidamente informada sobre suas operações, também pela crença na importância da imprensa para a construção permanente da nossa cidadania e da nossa democracia.

A imprensa sempre teve – e terá, cada vez mais – um papel de extrema importância. Desde que foi criada, historicamente passa por altos e baixos, incorpora novos meios, adota linguagens e continua sendo relevante pela sua credibilidade e compromisso com a informação. E isso não deve ser muito diferente agora.

Com o enorme volume de informações, inclusive falsas, circulando hoje por tantos e tão diferentes meios, a imprensa segue como um norte para identificarmos o que é fato, o que tem embasamento. E, mais uma vez, deverá se reinventar e continuar fazendo o que sempre fez: nos ajudar a formar opinião sobre questões importantes do nosso dia a dia fornecendo informação e análise de qualidade.”

VALE
“A Vale preza pelo contato sério e diário com os jornalistas de todo o País, por meio de trocas de informações confiáveis, conversas com porta-vozes, entrevistas ou outras ferramentas de comunicação, como as próprias redes sociais.

É motivo de muito orgulho poder contribuir com os jornalistas para que a sociedade se informe sobre diversos temas e possa conhecer a importância de companhias como a Vale, não apenas em termos econômicos – como geração de emprego, renda e pagamento de impostos –, mas também do nosso novo pacto com a sociedade, que se dá por meio de escuta ativa da sociedade e programas sociais, culturais e compromissos como a agenda ESG, entre outros de igual relevância.

Vejo com bons olhos o crescimento de outros meios e também o surgimento de novas categorias de profissionais, por acreditar que a comunicação evolui e, consequentemente, produz canais e vozes, cada qual com o seu papel no amplo espectro da sociedade.

Mas o jornalista, mais do que nunca, segue firme na sua missão de coletar, verificar, explicar e veicular notícias. Inserir dados e fatos no contexto correto, para facilitar a compreensão pelos mais variados públicos, além de analisar os cenários.”