design-sem-nome-15

Uma série de vídeos mostrando registros de pessoas chinesas passeando pelas ruas em looks extremamente estilosos viralizaram no TikTok e chamaram atenção da mídia internacional. A origem das imagens é do Douyin, uma espécie de rede social como o TikTok, também oriundo do país chinês.

Em meio ao fenômeno, que chegou a demais redes sociais, uma repórter do Buzzfeed USA descobriu que a origem das postagens tinha algo em comum – todas partiam de um mesmo grupo de fotógrafos. Eles frequentam a mesma região – Xintiandi, um bairro onde entusiastas da moda costumam se encontrar – que serve como cenário para pegar os registros de moda.

design-sem-nome-14

Fórmula eficiente

Porém, foi descoberto também que as pessoas aparecendo nos vídeos são influenciadores digitais que, em parceria com os fotógrafos, montaram uma estratégia de marketing para ganhar visibilidade nas redes sociais. A fórmula foi eficiente, pois alguns dos vídeos ultrapassam a marca das 5 milhões de visualizações apenas no TikTok.

De acordo com a reportagem do BuzzFeed essa se tornou uma tendência entre os criadores de conteúdo de moda e estilo de vida. Mesmo aqueles que não têm parceria com os fotógrafos passaram a circular pelo bairro na expectativa de serem flagrados ou procurados pelos profissionais para fazerem parte dos vídeos – uma espécie de Fashion Week ao ar livre com foco na influência em redes sociais.

Crescimento

O Douyin começou a ganhar força em 2019 e até o começo deste ano já tinha mais de 500 milhões de usuários ativos por mês e 150 milhões diariamente. Não à toa, diversas marcas passaram a investir no aplicativo, que tem a maior parte de seus usuários na faixa etária entre 20 e 34 anos.

Uma das primeiras foi Michael Kors, grife de moda masculina, seguida por Dior, BMW e Hugo Boss. Da mesma forma, Airbnb e KFC também passaram a publicar conteúdo na rede social, que muitas vezes tem seu conteúdo replicado fora – como no TikTok e Twitter.