A busca por plataformas de streaming de vídeo aumentou 300% nas lojas de aplicativos de 2019 até o primeiro semestre deste ano, de acordo com estudo de mercado realizado pela RankMyApp, empresa especializada em inteligência de marketing.

Segundo a pesquisa, a pandemia do novo coronavírus acelerou o crescimento do mercado de aplicativos, com a Google Play Store registrando 75% de aumento no número de downloads no início de 2020, quando começaram as medidas de distanciamento social.

Neste ano, os apps de streaming solidificaram sua presença nas lojas de aplicativo. Na Google Play Store, dentro dos cinco aplicativos de entretenimento mais buscados, quatro são apps de streaming de vídeo: Netflix (1º), Disney+ (3º) Pluto TV (4º) e Amazon Prime Video (5º).

Já na App Store, no primeiro semestre de 2021, entre os cinco primeiros aplicativos na categoria entretenimento, quatro também são streamings de vídeo: Globoplay (1º), Disney+ (2º) Netflix (3º) e Amazon Prime Video (4º).

As mais buscadas por gênero

O estudo também destacou que entre as plataformas mais buscadas pelos usuários, a Disney+ é a que possui a melhor avaliação média. Além disso, o Globo Play foi o serviço de streaming que recebeu um maior número de comentários de usuárias do gênero feminino (75% dos comentários).

Já o Cartoon Network foi o que recebeu o maior número de interações de usuários do gênero masculino (83,33% dos comentários).

Em 2020, segundo dados da MPA (Motion Pictures Association), as assinaturas de plataforma de streaming cresceram 26% durante a pandemia. Esse número representa cerca de 232 milhões de novas contas quando comparado a 2019.

plataformas-de-streaming-registram-crescimento

Mercado de plataformas de streaming aquecido

Segundo estudo da Allied Market Research, o valor de mercado de streamings e conteúdo OTT (over the top) deve atingir a cifra de U$1 trilhão até 2027, com um crescimento anual de 29,4%. Em 2019, esse mercado registrou o valor de U$121.61 bilhões.

Esta pesquisa também revelou que os smartphones dominaram o uso das plataformas de streaming em 2019 e que esta tendência deve permanecer com o aumento de aparelhos Android acessíveis em economias em desenvolvimento.

Porém, de acordo com Daniel Arcoverde, confundador da Netshow.me, este mercado de distribuição de conteúdo não precisa ficar restrito apenas às gigantes do entretenimento.

Redução dos custos

“Com a maior facilidade no acesso à tecnologia, houve uma redução nos custos para se ter uma plataforma de streaming adaptada à própria identidade visual. Isso abriu portas para muitos empreendedores digitais e empresas”, explica o empreendedor.

Arcoverde reforça que ter a própria plataforma de streaming permite que o produtor de conteúdo tenha acesso a maiores possibilidades de monetização, sem depender de algoritmos estabelecidos.

Essa liberdade permite a venda de planos de assinatura e vendas pontuais no formato pay-per-view e o modelo se torna cada vez mais utilizado por empresas e produtores de conteúdo que buscam vender cursos e criar uma esteira de produtos digitais para ganhar dinheiro online.