A pandemia causada pelo covid-19 escancarou a necessidade da transformação digital em todos os setores. Muitas empresas já vinham se adaptando e outras começaram a realizar o processo às pressas. Mas um fato é indiscutível: as estratégias de trabalho já vinham evoluindo nos últimos anos, mas as métricas e a governança não acompanharam o mesmo ritmo. Segundo a pesquisa da Deloitte “Tendências globais de capital humano 2020”, as organizações devem buscar novas formas para encontrarem métricas relevantes e acionáveis, por meio de ferramentas de people analytics, que possam basear decisões sobre riscos e oportunidades críticas de capital humano, mesmo diante de incertezas sobre o futuro, a força e o local de trabalho.

Ainda de acordo com o estudo, a demanda por novos insights da força de trabalho é cada vez maior e global, para se ter uma ideia, 97% dos entrevistados afirmaram precisar de informações adicionais sobre algum aspecto de sua força de trabalho. Nesta realidade, as métricas se tornam fundamentais e são uma estratégia para as necessidades do futuro. Por meio delas é possível detectar e analisar mudanças e tendências internas e externas. Além disso, possibilitam que os líderes e gestores tenham perspectivas e planejamento para anteciparem e enfrentarem os desafios do ambiente corporativo que estão em constante transformação.

As organizações que não usam dados e análises para gerenciar seus talentos correm o risco de perderem vantagem competitiva. É fundamental ter uma boa comunicação e analisar se essa informação está chegando até os colaboradores, também é necessário um processo de construção de marca, em que um propósito possa guiar toda a empresa. As companhias que desejam compreender a eficácia de suas iniciativas de força de trabalho podem usar novas ferramentas de comunicação interna e análise de rede organizacional para ajudar a compreender as conexões e sentimentos da força de trabalho.

A importância da comunicação entre líderes e liderados

Um dos principais segredos para fortalecer a relação entre os dois lados é dar valor à opinião de seus colaboradores. Quando você escuta o colaborador, cria-se um espaço de troca em que ele vai se sentir confortável de compartilhar e se envolver. Eles têm uma importância enorme pelo fato de estarem conectados, envolvidos e terem muito o que falar sobre a empresa. Realizam tarefas do dia a dia e respiram o ambiente corporativo. Então, não há nada melhor do que dar voz para que ajudem nas tomadas de decisão da empresa. Para ouvir os colaboradores é necessário ter uma comunicação acessível.

Além disso, é importante que exista uma construção de marca bem pensada dentro da organização. Quanto mais engajado, capacitado e alinhado com a corporação o profissional estiver, mais ele vai se sentir apto a crescer em um ambiente saudável e conquistar clientes fiéis – ou até mesmo trazer inovações que otimizam ainda mais o trabalho. É também importante entender que a maneira como a empresa decide tratar o seu colaborador pode impactar diretamente na construção da marca, criando até mesmo uma visão positiva ou negativa com os seus clientes.

Nesse cenário, todo o processo de comunicação com os colaboradores precisa ser mensurado e avaliado constantemente. Por meio de um app corporativo é possível deixar o dia dos colaboradores mais leve e aumentar o engajamento do time. Com diversas funcionalidades, a ferramenta oferece e propõe desafios, brincadeiras, interações dando voz aos colaboradores. Pequenas atitudes, como comemorar aniversário e campanhas de home office, podem fazer uma grande diferença. O melhor disso é poder acompanhar os resultados destas ações, com as métricas fornecidas pela plataforma.

Comunicação e métricas devem andar juntas

De olho nesse cenário, as organizações podem desenvolver métricas especializadas para ajudar a entender melhor aspectos específicos da força de trabalho. Outra forma de entender e dialogar com o colaborador é por meio de um canal de comunicação. Esse foi o caso da Via Varejo, que adotou uma ferramenta para se comunicar com 46 mil colaboradores. Com o intuito de aproximar, engajar e criar senso de pertencimento entre os colaboradores, inclusive os que agora estão trabalhando em home office, a plataforma de comunicação interna foi personalizada e batizada como Conecta. Além disso, ela visa levar comunicação até a ponta, engajando todo o público das Casas Bahia, Pontofrio, fábrica de móveis Bartira, 26 Centros de Distribuição espalhados pelo país e também o público corporativo.

As grandes empresas também estão caminhando nesse sentido, como é o caso do de BP Bunge, Carrefour, SBT, Livelo, Klabin e Adecoagro. O impacto e importância das redes sociais já é uma realidade bem conhecida para as áreas de marketing e comunicação e gera uma possibilidade de obter métricas exatas. A interação dentro desses apps aproxima ainda mais os clientes da marca. Assim, como as empresas já reconheceram a importância de estarem presentes nas redes sociais para o público final, agora estão aderindo também as redes corporativas internas. É uma forma de se comunicar e estar próximo dos colaboradores.

Por meio de métricas e comunicação também é possível identificar influenciadores internos e os colaboradores mais admirados pelos colegas, que podem receber um reconhecimento formal da empresa ou um parabéns direto do presidente. A plataforma traz métricas que permitem a identificação de influenciadores internos, que companhias podem promover a embaixadores e dar-lhes maior autonomia para comunicação a todos da empresa, para que mais funcionários se sintam engajados. Além disso, a plataforma também entrega métricas para gestores de RH e CI que lhes dão a visão clara do alcance, absorção e eficácia dos comunicados internos, sabendo exatamente onde precisam melhorar sua comunicação e engajamento de colaboradores.

andre-franco-dialogci

André
Franco

André Franco é CEO do Dialog.ci, startup responsável por desenvolver uma plataforma online de comunicação interna e RH para melhorar o engajamento dentro das empresas.Mais artigos