No DNA de um profissional de comunicação corporativa deve estar necessariamente registrada a capacidade de enfrentar momentos de turbulência. Gerenciar crises está longe de ser a única tarefa com que lidamos em nosso atribulado dia a dia, mas é na adversidade que distinguimos aqueles e aquelas que podem ajudar as organizações com ideias, estratégias e ações para superar obstáculos.

Gostamos de grandes desafios e foi em meio a uma crise global sem precedentes que a Assembleia Geral da Associação Brasileira das Agências de Comunicação – Abracom elegeu em agosto de 2020 a chapa Mercado Forte para conduzir a entidade pelos próximos dois anos. E eu tive a honra de receber a confiança de meus pares para assumir a presidência do Conselho Gestor.

Nossa eleição, marcada anteriormente para abril, foi adiada, como muitos eventos presenciais, até que conseguíssemos segurança jurídica para reunir os associados remotamente. Nosso grupo sucede o excelente trabalho realizado nos últimos 4 anos pela empresária Claudia Rondon, da RPMA Comunicação, que conduziu a associação com grande habilidade e a quem tive a honra de auxiliar como diretor de finanças.

Recebi uma Abracom organizada, relevante no mercado de comunicação, com grandes conquistas. E encaro essa missão em meio aos desafios impostos pela pandemia, que atingiu a todos os segmentos da economia. E não foi diferente com a comunicação. Mas tenho a convicção de que conseguimos dar aos clientes das agências respostas eficazes para enfrentar a crise e manter empresas, instituições e governos em conexão permanente com seus públicos estratégicos, mostrando como a nossa atividade é essencial para as organizações.

Está em nosso DNA achar as melhores soluções em meio às piores crises, mas também é nossa expertise cuidar do trabalho cotidiano e incansável de manutenção da boa percepção de reputação daqueles que nos contratam.
Para liderar o desafio de conduzir o mercado rumo à retomada, fizemos uma alteração estatutária que enxugou a estrutura da entidade, com um Conselho Gestor Estatutário, conselheiros fiscais e um time de diretores temáticos que terão como missão definir estratégias de atuação da entidade rumo aos 20 anos de fundação da Abracom, em 2022.

Nova diretoria
Com uma plataforma que propõe o fortalecimento do mercado, intensificação do relacionamento institucional, trabalho por relações comerciais mais justas e transparentes, aposta na diversidade e na inclusão e no aumento da prestação de serviços aos associados, a nova diretoria terá também Zé Schiavoni, da Weber Shandwick como vice-presidente, Carina Almeida, da Textual, como secretária-geral, Renato Salles, da FSB, na diretoria de assuntos legais e Ana Julião, da Edelman, como diretora de finanças. Completam a direção estatutária os conselheiros fiscais Vitor Fortes, da In Pacto, Beth Garcia, da Approach, Claudia Zanuso, da Duecom, e Gustavo Diamantino, da Press-à-Porter, como suplente.

Para a gestão da chapa Mercado Forte, os cargos temáticos foram assim definidos: a área de relações institucionais com o setor privado será comandada por Patrícia Ávila, do Jeffrey Group. No setor público, assume Patrícia Marins, do Grupo In Press. A diretoria de relações internacionais será dirigida por Pedro Cadina, da Via News. A diretoria temática de capacitação e gestão será exercida por Lúcia Faria, da LF Comunicação, que já cuidava dessa área na gestão anterior. A área de expansão e mobilização, responsável pelo relacionamento com associados e com o mercado de agências estará sob o comando de Madelon Piana, da Madelon Piana Consultoria, de Belo Horizonte.

Marcio Cavalieri, da RPMA, será diretor de dados e parâmetros de mercado e Gisele Lorenzetti, da LVBA, continuará à frente do Conselho de Ética. E também temos diretorias estaduais já constituídas em Pernambuco, São Paulo, Minas Gerais, Bahia e Rio Grande do Sul, com o objetivo imediato de eleger diretores regionais no Rio de Janeiro, Paraná, Distrito Federal, Mato Grosso e Goiás, onde agências se articulam para criar uma agenda local.

Desafio do presente
Em nossos 10 compromissos assumidos com os associados, também está o de ajudar as agências na implantação de medidas de ajuste à nova Lei Geral de Proteção de Dados, que impõe a todas as empresas que lidam com dados sensíveis de pessoas jurídicas cuidados para evitar vazamentos e uso indevido de informações pessoais. Nosso setor já está se adaptando e certamente estará entre aqueles que agirão em conformidade com a lei, que é fundamental para garantir segurança jurídica e aproximar o Brasil das melhores práticas de proteção de dados.

São muitos os desafios, e eles nos movem em direção a uma entidade mais presente e atuante junto a seus associados, parceiros e com uma pauta que tem como eixo central e multidisciplinar a Ética nas relações e a promoção da diversidade e da inclusão no mundo da comunicação. E foi justamente a criação de um grupo de trabalho com essa temática a primeira ação da gestão Mercado Forte na Abracom. Queremos um compromisso setorial para que nosso mercado seja cada vez mais diverso e inclusivo e que as ações de comunicação que nossos profissionais e agências venham a planejar para seus clientes sejam pautadas por esses princípios.