hnw_blog_opt2

Consciente da importância da manutenção do fluxo de notícias segura para a sociedade no momento atual, o Google anunciou nesta quarta-feira, dia 15, o lançamento do Fundo de Auxílio Emergencial ao Jornalismo. Por meio do Google News Initiative, a proposta é socorrer os veículos de comunicação de pequeno e médio porte que estão sofrendo muito com a desaceleração econômica – cortes nas equipes, redução de salários e custos e esvaziamento das receitas publicitárias.

“O noticiário local é um recurso fundamental para que pessoas e comunidades se mantenham conectadas quando tudo vai bem. No momento atual, ele desempenha um papel ainda mais importante na cobertura de situações de quarentena, distanciamento social ou isolamento total em determinadas regiões; do fechamento de escolas e parques; e na divulgação de informações sobre os impactos do coronavírus no cotidiano dos cidadãos”, explicou Richard Gingras, vice-presidente de Notícias do Google, no post em que anuncia a iniciativa.

Quem pode participar
Veículos de imprensa do mundo inteiro – incluindo Brasil – podem se inscrever a partir de hoje na plataforma. Basta preencher um simples formulário para entrar com o pedido de auxílio. Dentre os critérios para aprovação dos recursos incluem ser uma organização de mídia com produção de conteúdo original hard news, com presença digital e em operação há pelo menos 12 meses. As redações elegíveis devem empregar formalmente entre 2 e 100 jornalistas em tempo integral. Também podem participar organizações de meios tradicionais, emissoras de rádio e/ou TV. As quantias irão variar entre alguns milhares de dólares a dezenas de milhares, de acordo com a região atendida e o porte dos veículos. O prazo de inscrições vai até o dia 30 de abril de 2020, às 3h59, horário de Brasília.

Além disso, Gingras ressaltou também os desafios diários que os jornalistas têm enfrentado na cobertura da pandemia e o quanto isso tem afeta suas vidas. Por isso, o Google.org também irá doar um total de US$ 1 milhão para o International Center for Journalists (ICFJ) e para o Dart Center for Journalism and Trauma da Columbia Journalism School, organizações que estão auxiliando os profissionais expostos à situações traumáticas e de risco.

“O comunicado de hoje se soma a outros esforços que estamos fazendo para apoiar o setor de notícias e conectar as pessoas a informações confiáveis e de qualidade, num momento em que elas são extremamente necessárias. Acreditamos que temos a responsabilidade de fazer o que estiver ao nosso alcance para aliviar a pressão financeira imposta às redações. Continuaremos buscando novas maneiras de ajudar, com novos anúncios que serão feitos em breve”, reforçou Gingras.

Para se inscrever, clique aqui.