Os anos de experiência liderando projetos em grandes companhias me mostraram que as equipes de marketing, mais do que nunca, necessitam de independência para promover a evolução dos canais digitais. Digo isso porque, na maioria das organizações, esta área ainda sofre com a dependência junto ao setor de TI, o que faz com que cada transformação idealizada pelos profissionais de comunicação seja postergada e coloque os KPIs em risco.

O mercado de hoje vive um momento no qual os canais digitais criados para atender o público são construídos de maneira rica em layout, repletos de múltiplas informações que precisam ser apresentadas de forma atraente. É fundamental oferecer excelente usabilidade em mobile, ser responsivo e acompanhar as tendências ditadas pelos grandes players. Entretanto, isso exige rapidez para dar suporte às estratégias cada vez mais dinâmicas e isso só é possível se o time de marketing estiver com o bastão na mão para vencer esta corrida.

Para exemplificar o que estou dizendo, basta pensar que, há algum, ganhou força o conceito de faixas de informações na disposição do layout de sites e landing pages. Cada uma dessas faixas podem ser trocadas de lugar, de acordo com o interesse e a sabedoria da equipe de marketing; afinal, a posição das informações interfere diretamente na visualização.

Ocorre que os times de marketing são amplamente dependentes das equipes de tecnologia para realizarem essas trocas. Cada demanda solicitada precisa ser detalhadamente desenhada para os desenvolvedores, e em seguida vai para o fim de uma fila e pode levar semanas para receber uma tratativa. Semanas é tempo que não se pode esperar quando pensamos em uma área que lida com metas, KPIs, geração de leads, índices de satisfação do cliente, entre outros indicadores.

Obviamente, não defendo que as equipes de marketing aprendam a escrever linhas de código para atuarem com linguagem HTML e outros saberes que não dizem respeito aos profissionais de comunicação. O que eu saliento é que seria muito mais produtivo que as áreas de TI preparassem o terreno para que o marketing pudesse colocar em prática suas ideias e conceitos com agilidade, sem a necessidade de gerar novas demandas para os desenvolvedores. Mudanças não podem depender de deploys semanais porque isso atravanca todo o fluxo de trabalho dentro da comunicação. Elas precisam ser feitas em tempo real e durante a produção.

Adicionar menus, trocar posições de informações estratégicas, de descrições de produtos, mudar disposições no layout, aumentar os números de blocos… Este é um quebra-cabeças que cabe ao marketing montar e já existe tecnologia capaz para permitir isso. Basta que a TI faça sua parte e entregue as peças bem feitas.

A área de marketing necessita ser empoderada para ser mais estratégica. Ela precisa ter o volante do veículo em suas mãos, para que possa determinar direções com mais facilidade e fazer suas manobras no momento mais adequado. Obviamente, sempre há features que precisam ser integradas com o back end, nós sabemos disso. Mas esta é outra questão: o que a área de marketing quer é ter protagonismo no trabalho que lhe cabe. Ter a liberdade de fazer mudanças importantes em tempo real.

A agilidade do marketing sempre vale a pena. E a tecnologia está ao nosso lado para fazer acontecer.