_il_3485

O Prêmio Especialistas, criado em 2015 pelo Cecom – Centro de Estudos da Comunicação e pela Negócios da Comunicação, tinha um grande objetivo: reconhecer os jornalistas pelo conhecimento e propriedade que tratam os assuntos de sua especialidade. Agora, em sua terceira edição, o Especialistas se consolida com o reconhecimento desses profissionais sobre a importância de uma premiação como essa.

Com um grande fluxo de informações que circulam pela internet, o jornalista especializado se faz progressivamente mais estratégico para os veículos, para as marcas e, principalmente, para a audiência que está cada vez mais sofisticada. “O leitor não está em busca somente de informações específicas, mas de serviços personalizados ao seu estilo de vida e negócios, o que mostra que o jornalismo segue vivo e relevante”, diz Márcio Cardial, diretor do Cecom e publisher da Negócios da Comunicação, destacando a necessidade de uma premiação como a do Especialistas.

Para o premiado Diogo Sponchiato, redator-chefe da revista Saúde, o prêmio ressalta para o mercado a importância daqueles jornalistas que se aprofundam em determinadas áreas e com isso conseguem fazer coberturas mais densas, mais panorâmicas. “Para a gente é importante pelo fato de que valoriza algumas áreas que nem sempre ficam muito em evidência na grande imprensa. Acho que dá o devido destaque para aqueles que acabam se dedicando no dia a dia a uma área específica, que têm algum impacto na sociedade”, diz o jornalista.

Carlos Aros, repórter da Rádio Jovem Pan, acredita que uma premiação como essa vai na contramão do que se acredita sobre jornalismo, que é o saber falar de tudo, mas não entender profundamente de nada. “ É muito importante valorizar um profissional que se dedica a determinado segmento, se debruça sobre aquilo diariamente, que estuda aquilo e não fala de maneira rasa, dá tempo para conhecer as coisas, e acho que é isso que falta hoje”, completa.

O evento

_il_3601Realizado no dia 7 de novembro, no Teatro CIEE, em São Paulo, o evento reuniu grandes nomes do jornalismo. Ao todo, foram três premiados em cada um dos 31 setores econômicos avaliados pela pesquisa.

A novidade deste ano foi a eleição dos destaques em cada uma das categorias. Após a primeira fase da pesquisa, na qual foram identificados os três melhores jornalistas, foi realizada uma segunda etapa. Entre os premiados, jornalistas e profissionais de comunicação puderam escolher aqueles que se destacaram em suas áreas de conhecimento, que foram anunciados somente no dia da premiação.

Como todos os anos, o Prêmio Especialistas abriu com uma homenagem. Após um ano recheado de notícias falsas, com indagações sobre o futuro do jornalismo, nada mais justo do que homenagear um jornalista e professor, que preza pela qualidade e pela verdade na profissão. Eugênio Bucci* recebeu a placa pelas mãos de Rogério Louro, diretor de Assuntos Corporativos e RP da Nissan do Brasil.

_il_3655

* Jornalista, graduado em Comunicação Social e em Direito pela Universidade de São Paulo, é doutor pela Escola de Comunicações e Artes da USP, onde atualmente é professor titular, dando aulas na graduação e pós-graduação. Além do cargo de professor, exerce também a função de Superintendente de Comunicação Social da USP, órgão responsável pelo Jornal da USP, pela Revista USP e pela Rádio USP, com emissoras em São Paulo e em Ribeirão Preto. É articulista quinzenal em O Estado de S. Paulo e colunista da revista Época. É também autor de diversos livros e ensaios.

“Eu acredito que o significado dessa homenagem é o conjunto de esforços que eu desenvolvi em prol da própria cultura jornalística, e uma cultura ética da comunicação mais ampla, e que isso representa alguma coisa para as pessoas que organizaram esse prêmio e para as pessoas que aqui estão eu sinto uma gratidão e também uma responsabilidade enorme”, diz Eugênio Bucci.

Eugênio também acredita que o não há nada comparado ao reconhecimento dos pares. “O trabalho jornalístico não tem objetivo de ganhar prêmio, mas quando isso acontece, um reconhecimento conferido pelos pares, iguais, colegas e que fazem essa atividade, a gratificação que toma conta do profissional é incomparável, porque ele sente que contribui para a cultura de todo aquele grupo, que ele representa e enriquece o trabalho”.

Os destaques da noite ficaram por conta de Ivo Ribeiro, Cláudia Schüfnner e Mônica Scaramuzzo. O editor de indústria e infraestrutura do Valor Econômico, Ivo Ribeiro, foi quem mais recebeu troféus (3) este ano no Prêmio Especialistas, sendo premiado nas categorias Siderurgia e Metalúrgica, Bens de Capital e Construção Civil e Arquitetura. Além dele, as jornalistas Cláudia Schüffner, do Valor Econômico, e Mônica Scaramuzzo, do jornal O Estado de S. Paulo, foram premiadas com dois troféus cada, por serem os Destaques das categorias Petróleo e Gás, e Papel e Celulose, respectivamente. Para conhecer todos os premiados, clique aqui.

Para o próximo ano, a ideia é trazer outras categorias, contemplando todos, ou grande parte, dos setores cobertos pelos jornalistas. “Temos que estar de olho nas tendências para conseguirmos prestigiar todos os profissionais especializados. A ideia é fazer a cada edição um prêmio melhor, que traga essa representatividade essencial ao mercado de jornalismo e seus profissionais”, completa Márcio Cardial.

Para ver a premiação deste ano na íntegra, é só acessar os vídeos a seguir.