img-20170201-wa0037

Campeão e ídolo dentro dos gramados, Ronaldo Nazário agora quer fazer história nas telas. Mas não dos cinemas, e sim dos videogames. No dia 1º de fevereiro, durante uma coletiva em São Paulo, o ex-jogador anunciou a compra de parte da CNB, uma das principais organizações de esporte eletrônico do Brasil. Em sociedade com André Akkari, amigo e astro do pôquer, e do empresário, Igor Federal, Ronaldo comprou 50% do clube e acredita no crescimento cada vez maior do segmento.

Antes dos sócios se apresentarem e contarem um pouco mais sobre a empreitada, aconteceu um painel para debater sobre a situação atual dos eSports na visão do público, de patrocinadores e apoiadores e da imprensa especializada em esportes.

Na mesa, estavam Carlos Junior, sócio-fundador do CNB HyperX e-Sports Club e presidente da Associação Brasileira de Clubes de eSport; Rafael Noda, professor da USP (FIA) e especialista em jogos eletrônicos; Alessandro Jodar, repórter do SporTV especialista em eSports; e Paulo Vizaco, diretor executivo da Kingston/HyperX do Brasil.

Depois, o momento mais esperado da coletiva. Os irmãos fundadores do CNB HyperX – Cleber Fonseca e Carlos Júnior –, e os dois novos sócios da equipe, Ronaldo Nazário e André Akkari, falaram para o público presente sobre a mais nova sociedade.

Ronaldo disse que estava muito feliz em embarcar nesse novo desafio apaixonante. “Sou abençoado por estar sempre fazendo coisas que eu gosto e me motivo com desafios em que me sinto bem”, disse o craque. Ele contou que sua relação com o esporte eletrônico é direta, pois os filhos jogam e, por isso, conseguiu entender melhor o tipo de investimento que estava fazendo.

“Sou abençoado por estar sempre fazendo coisas que eu gosto e me motivo com desafios em que me sinto bem”.

A compra de parte da CNB por Ronaldo mostra que o segmento de esportes eletrônicos tem crescido muito e, com a sua chegada, pode alavancar mais negócios ainda. “O Ronaldo agrega muito para o esporte de maneira geral e sua imagem desperta interesse de público e marcas”, diz Paulo Vizaco, diretor executivo da Kingston/HyperX do Brasil.

Mesmo em um época econômica complicada no Brasil, o eSports cresceu tanto em investimentos quanto na audiência, gerando interesse das marcas e dos grandes veículos de comunicação. “As marcas estão de olho nesse mercado, que ainda tem grandes oportunidades de crescimento, e as primeiras a apostarem estão recolhendo os frutos”, conta Vizaco.

Além disso, com uma audiência cada vez maior e relevante, canais, como a SporTV, da Globo, têm colocado em sua grade transmissões de campeonatos de eSports. “Atualmente, o SporTV já transmite uma partida por semana de League Of Legends e a tendência é que a presença dos esportes eletrônicos na programação do canal aumente cada vez mais. Além das transmissões, também estamos intensificando nossa cobertura jornalística nos programas durante a semana”, conta Alessandro Jodar, repórter do SporTV.

E a imagem do Ronaldo tende a causar mais impactos positivos no segmento. Para o ex-jogador, sua presença e a de Akkari fornece a experiência de se lidar com parcerias, patrocinadores e o sistema de transmissão de eventos, tudo isso trazido do mundo do futebol e do pôquer, dois esportes mais consolidados.