Como dizia Albert Einstein, “insanidade é continuar fazendo sempre a mesma coisa e esperar resultados diferentes!”. Adicionei essa exclamação à frase, porque fico descabelada ao ver as pessoas cometendo esse erro. Ano(s) de crise, verbas cortadas e os gerentes de marketing precisam atingir metas e deixar sua marca como profissionais de resultados. Mas se o contexto mudou, as estratégias precisam ser inovadoras.

Ficar parado esperando a concorrência agir é a pior escolha. E o que isso tem a ver com PR (Public Relations)?

O PR de verdade – aquele estratégico, criativo e humano, como defendo – tem o poder de criar novas histórias para uma marca, engajar multidões, ecoar boas ideias e entregar os desejados KPIs [indicador utilizado para medir o desempenho dos processos de uma empresa] sem os abastados recursos que a publicidade tradicional requer.
Muito se fala em influenciadores digitais, branded content e live marketing, mas PR de verdade não é só isso e sim a combinação das mais eficazes estratégias de conteúdo, relacionamento e experiência, costuradas por uma boa ideia.
As agências de PR normalmente se afogam nas entregas de releases, follow-up, press-kits, reuniões com jornalistas, e se esquecem de ser criativas. A criatividade não costuma ser pauta nas disciplinas de Jornalismo e Relações Públicas. Os marqueteiros perceberam que a ideia não é propriedade exclusiva das grandes agências de publicidade e que as agências de PR sabem transformar ações em resultado de público e crítica.

Os marqueteiros perceberam que a ideia não é propriedade exclusiva das grandes agências de publicidade e que os PR também sabem transformar ações em resultado

Uma vez, a marca Trident pediu que divulgássemos seus novos sabores especiais de verão. O desafio poderia tomar a forma de um texto ou um kit enviado aos formadores de opinião. Mas não! As frutas dos novos sabores acabaram se transformando na estampa de uma linha de biquínis, maiôs e acessórios de praia criada em parceria com a marca Cia Marítima.
Os produtos foram desfilados por modelos e celebridades em um evento para formadores de opinião, no Shopping JK, em São Paulo. Depois, ainda foram vendidos nas 23 lojas da marca de roupa de praia.
Além do lançamento ganhar as vitrines, virou pauta nas mídias sociais de gente badalada e as ações geraram clippings e mais clippings. O projeto ganha corpo e graça quando comunicadores, criativos e produtores trabalham juntos.
Exemplos como esse têm sido aplicados a diversas marcas, de bebidas a produtos para bebês, comprovando que um PR criativo pode solucionar desafios de qualquer natureza, combinando: estratégias de conteúdo com relacionamento e experiência.
Essa é a aposta de agências de PR que vêm se reinventando por acreditar que essa disciplina merece bem mais que os 0,04% da verba de marketing a ela destinada, hoje, no Brasil, segundo dados do Grupo Consultores.
O cenário atual abre um enorme caminho para soluções criativas com melhor custo-benefício. Como disse Einstein em seu desafio filosofal, é hora de inovar na maneira de fazer para se atingir novos resultados.