A virada do ano provocou na internet a tradicional profusão de textos que se propõem a identificar tendências da comunicação e do marketing para o novo período que se inicia. Como sempre, sobram palpites e previsões, na maioria versões adaptadas de apostas já lançadas ao final de anos anteriores. Mas muitos dos textos coincidem num ponto importante: prenunciam uma revalorização da comunicação estratégica por parte das organizações.

Se essa perspectiva se concretizar ou, pelo menos, conquistar espaço significativo na agenda corporativa, 2017 pode, sim, ser um grande ano para a comunicação. E, consequentemente, também para as organizações que entendem e praticam estrategicamente a comunicação.

Por definição, a comunicação é estratégica quando tem como base um planejamento alinhado aos objetivos gerais da organização e se desdobra em ações integradas, desenhadas para impulsionar a performance e contribuir para atingir os resultados desejados.

Se as organizações passaram a dispor de novas e múltiplas possibilidades para a comunicação e o relacionamento com seus públicos, cresceu também, proporcionalmente, o desafio de integrar essas diversas iniciativas e de dar a elas um sentido de unidade e coerência.

O ferramental ficou potencialmente mais rico, mas a gestão da comunicação se tornou bem mais complexa. Em muitos casos, caiu-se na armadilha do fazer por fazer, a antítese da abordagem estratégica.

É provavelmente por conta desse cenário que a revalorização da dimensão estratégica da comunicação desponta como tendência ou, mais que isso, como necessidade. Num contexto em que a identidade e o prestígio de marcas e organizações se constroem obrigatoriamente na interatividade e no diálogo com os públicos, comunicar-se com eficiência é, mais que nunca, uma exigência competitiva.

É com essa perspectiva que lançamos este mês no Brasil a Ágora, uma consultoria de comunicação de abrangência latino-americana especializada em estratégia, pesquisa e public affairs. O objetivo é ajudar os clientes a planejar, organizar e implementar a comunicação como um recurso imprescindível para a construção de canais de relacionamento com key-stakeholders e para a geração de resultados de negócio.

Se depender de nós, o resgate da dimensão estratégica da comunicação estará entre as prioridades de 2017 e dos próximos anos. Que tenhamos todos um feliz Ano Novo!

gerson

Gerson
Penha

Gerson Penha é diretor-executivo da Ágora Public Affairs & Strategic Communications no Brasil.Mais artigos